Inscrições XI Mostra Espírita de Dança “Oficina do Espírito”


Queridos amigos,

Este ano faremos um processo de inscrição diferente do que geralmente fazemos. Antes a pessoa preenchia a ficha de inscrição e depois fazia o depósito. Este ano será ao contrário… Primeiramente a pessoa irá depositar o valor da inscrição (conforme tabela), e após esse depósito é que irá preencher a ficha individual e as demais (link’s abaixo)

– 01/12/2014 a 01/01/2015 – R$ 45,00 (Adulto) e R$ 35,00 (Infantil – até 10 anos na data do evento)
– 02/01/2015 a 15/02/2015 – R$ 50,00 (Adulto) e R$ 45,00 (Infantil)
– 16/02/2015 a 31/03/2015 – R$ 55,00 (Adulto e Infantil)
Dados para depósito:

Banco Bradesco

Agencia 329

Conta Poupança 1007008-2

Em nome de Gabriele de Moura Garrucho

Fichas:
– Individual – http://goo.gl/forms/vcwPmw9bL9
– Coreografia – http://goo.gl/forms/DV4KaC7DwG
– Espetáculo – http://goo.gl/forms/vQZkL6nHYM
Maiores informações pelo email: mostraespiritadedanca@hotmail.com
Abraços

XI Mostra Oficina do Espírito


Pessoas…

Já está disponível no blog o regulamento da XI Mostra!
final 2

XI Mostra Espírita de Dança


Queridos amigos,

É com imenso prazer que trazemos a notícia de que a XI Mostra Espírita de Dança “Oficina do Espírito” começa a ser gerada!!! O tema desta vez foi pensado e repensando pela equipe organizadora, pois queríamos que fosse algo que tivesse uma ligação com o momento pelo qual a Dança Espírita está passando… Diante disso optamos pelo tema “Sintonia Divina“.

A Mostra será nos dias 01, 02 e 03 de maio de 2015 na cidade de Araras (SP).

Em breve traremos mais informações!

Abraços

Equipe organizadora

Falando de Arte Espírita


A CASA ESPÍRITA PRECISA DE ARTE?

Se sua resposta é: NÃO! Você tem duas opções: continuar lendo ou fechar essa página e ir embora.

Já que você ainda está por aqui sua resposta foi SIM!

Ou resolveu nos dar uma chance. Parabéns por sua escolha!

A Instituição espírita, como núcleo de prática e divulgação doutrinária, necessita ter atividades que alcancem metas e objetivos de sua existência. As atividades de teatro, música, dança e artes plásticas, podem contribuir com a missão da Casa Espírita de promover a formação do homem de bem.

A expressão artística permite a percepção do Espiritismo pelos canais da intuição, dos sentimentos, da emoção e da vibração.

A prática artística na casa espírita deve ser um espaço para que o indivíduo desenvolva seu potencial criador e transformador, cultivando a desinibição, a criatividade e a interação com o próximo. O indivíduo estabelece assim uma ação comunicativa e mobilizadora, alimentando hábitos de sucesso para si e sua instituição.

O trabalho de arte valoriza o indivíduo como entidade peculiar, o que serve de estímulo ao crescimento espiritual. O indivíduo que cresce estimulado integralmente, estabelece novas formas de convívio em grupo, deixando de lado o modelo autocrático.

O desejo de inovação é inato no trabalho de artes, o que possibilita novas oportunidades de atuação do trabalhador espírita, qualificando a sua ação produtiva na instituição.

A arte se apresenta na sociedade como meio de comunicação potente e ágil, tornando-se fundamental na ampliação da divulgação do conhecimento espírita.

Baseando-se nestes tópicos, podemos afirmar que o trabalho de arte, dentro da casa espírita, não deve ser um instrumento complementar, mas um processo fundamental de divulgação doutrinária e crescimento sócio-educativo do indivíduo, numa atitude saudável e integral, ou seja, o trabalho de arte não de ser relegado a segundo plano na estrutura organizacional da instituição, mas devidamente valorizado como poderoso instrumento de formação do homem de bem.

QUAIS OS BENEFÍCIOS QUE A PRÁTICA DA ARTE PODE TRAZER À INSTITUIÇÃO:

Quando planejada, orientada e em constante processo de avaliação, a existência de atividade artística na instituição pode contribuir para:

  • Integração entre os departamentos e setores da casa;
  • Enriquecimento do ambiente doutrinário;
  • Dinamismo das atividades de estudo;
  • Geração de boas energias para as atividades espirituais;
  • Fortalecimento dos laços de amizade e fraternidade entre os trabalhadores;
  • Estudo do espiritismo por parte dos integrantes do trabalho artístico

ARTE NA CASA ESPÍRITA?

Allan Kardec foi o responsável pela codificação do Espiritismo trazendo, para todos, no século XIX, a oportunidade de ter em mãos conteúdos sistematizados de uma nova religião, que trouxe um caminho desafiador para nossa evolução.

Em cinco livros – O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, Céu e Inferno e A Gênese, ele traçou as bases fundamentais da Doutrina renovadora que devemos praticar dentro e fora das casas espíritas. São informações que respondem às nossas principais dúvidas existenciais e nos fornecem as diretrizes mais acertadas para realizarmos uma ação coerente e qualificada.

O trabalho de arte implementado dentro das instituições espíritas tem como dever maior, assim como todas as outras atividades, seguir os ensinamentos básicos de Kardec e transportá-los para a experiência cotidiana.

Os conteúdos trabalhados não podem se desvirtuar daquilo que foi explicitado pelo Pentateuco esclarecedor, devendo-se, em cada produção artística, ter o maior cuidado em investigar as coerências doutrinárias que são expostas. Não é censura elo arcaísmo fútil das “falsas regras impostas pela doutrina”, que nascem de uma crença cega e uma ignorância inútil. É simplesmente respeito e compromisso com os princípios espíritas que abraçamos.

A expressão artística possui uma liberdade estética que a coloca numa vastidão de possibilidades para trabalhar determinado tema, mas este deve seguir os princípios espíritas.

Existe em nossos costumes tradicionais uma necessidade de tornar a arte uma forma obrigatória de “catequizar” o outro, mostrando verdades que devem ser aceitas sem questionar. A arte vai além disto, ultrapassa qualquer forma de enrijecimento doutrinário e expõe uma mensagem por vias mais envolventes, deixando aberta ao público uma diversidade de interpretações, facilitando assim, com que cada um veja e sinta aquilo que necessita para o seu aprendizado.

Utilizar a arte como “catequese espírita” é restringi-la, diminuindo suas possibilidades.

“A arte pura é a mais elevada contemplação espiritual por parte das criaturas.”

(Emmanuel – O Consolador)

“O artista verdadeiro é sempre o médium das belezas eternas e o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas mais vibráteis do sentimento humano.”

(Emmanuel – O Consolador)

“Existe hoje grande número de talentos com a preocupação excessiva da originalidade, dando curso às expressões mais extravagantes de primitivismo, esses são os cortejadores irrequietos da glória mundana (…) passarão como zangões da sagrada colméia da beleza divina, que, em vez de espiritualizarem a natureza, buscam deprimi-la com as suas concepções extravagantes e doentias.”

(Emmanuel – O Consolador)

Feliz 2011…


Para Refletir…

“…mire, veja:

o mais importante e bonito do mundo é isto;
que as pessoas não estão sempre iguais,

ainda não foram terminadas,

mas que elas vão sempre mudando.
Afinam ou desafinam.

Verdade maior.

É o que a vida me ensinou.”

 

João Guimarães Rosa,

Grande Sertão: Veredas

 

Reflexão – IX Mostra


“Pra você”

Mariangela Damiani

 

 

 O meu mundo de sonho e cor

Pra você que se faz tão presente

Neste mundo de provas e dor

Pra você que está sempre comigo

 Nestas horas de luta e amargor

 Pra você meu amigo sincero

Ofereço um ideal de amor

Amigo de risos e choros

 Entre telas, cifras e textos

 Ou em passos, giros e aplausos

Por momentos de erros e acertos

Pra você quero ofertar

Esta mais bela canção

 Pra você quero dançar

 Amigo do meu coração

Dança nas penitenciárias


Dançarinos Prisioneiros:

Estes são os dançarinos prisioneiros do Centro de Detenção e Reabilitação da
Província de Cebu. Têm imensas coreografias – que fazem sucesso, muitas no
youtube e que foram uma idéia de Byron Garcia, um consultor de segurança do
governo da província de Cebu. Ele afirma que a nova rotina de exercícios
melhorou “drasticamente” o comportamento dos presos e dois ex-detidos
transformaram-se em dançarinos desde então.
“Usando a música, pode envolver o corpo e a mente. Os prisioneiros têm que
contar, memorizar passos e seguir a música”, disse Garcia à BBC.
“Os prisioneiros dizem-me: “precisa colocar a sua mente longe da vingança,
da loucura ou de planos para escapar da prisão ou juntar-se a uma gangue'”,
acrescentou Garcia.

A dança é obrigatória para todos os 1,6 mil detidos na prisão de Cebu,
excepto para os idosos e doentes.

Deixo o comentário abaixo, tal como o recebi

Já tinha visto outros vídeos da mesma autoria deste, mas não podia deixar de
enviar este. Trata-se de mais um vídeo realizado por prisioneiros filipinos,
que estão cada vez melhor naquilo que fazem… até já filmam em HD e tudo!

Na minha opinião, o melhor dos vídeos realizados pelos já famosos
prisioneiros filipinos, e digo isto não só pela coreografia (do filme This
Is It) mas também pela letra (They don’t care about us) e pela mensagem que
transmite. Simplesmente fantástico!!! Para ver e partilhar!

Clique no link abaixo para ver o vídeo